O que aconteceu com o Celtics na década de 90?

Na contramão de sua própria história de dominância, o Boston Celtics viveu tempos de “vacas magras” durante os anos 90

Os anos 90 no basquete marcaram a supremacia de Michael Jordan — que conquistou o hexacampeonato com o Chicago Bulls — e também o começo das carreiras de lendas como Shaquille O’NealKobe BryantTim Duncan e Allen Iverson. Na mesma época, ocorreu a consolidação da NBA na cultura, ultrapassando as fronteiras dos Estados Unidos para conquistar o mundo. No entanto, a década de 1990 não foi nada agradável para o maior campeão da liga, o Boston Celtics. A seguir, mostrarei os detalhes deste período apático da maior franquia de Boston.

O fim dos anos dourados

Vindos de uma era dourada com Larry BirdKevin McHaleRobert Parish e companhia, os torcedores celtas estavam, digamos, mal-acostumados com as grandes vitórias e conquistas. Nos anos 80, por exemplo, foram três títulos conquistados (1981, 1984 e 1986), e mesmo quando os títulos — da liga e da Conferência Leste — não eram conquistados, o Celtics estava sempre na disputa, como um dos favoritos.

Porém, os rumos começaram a mudar em 1992, com a aposentadoria de Larry Bird — um dos maiores jogadores da história da franquia — devido a lesões que incomodavam o jogador há anos. Desta maneira, sem o seu franchise player (jogador da franquia), ficou nas mãos do jovem, e talentoso, Reggie Lewis, a missão de dar sequência à tradição vitoriosa da equipe para o futuro.

O adeus de Lewis e o declínio da franquia

Foto: Divulgação/NBAE

Reggie Lewis era o presente e o futuro de Boston, entretanto, uma fatalidade aconteceu inesperadamente. Na primeira rodada dos playoffs de 1993, Lewis desmaiou durante o jogo contra o Charlotte Hornets. Após uma série de exames, o atleta de 26 anos foi diagnosticado com arritmia cardíaca — batimento cardíaco irregular.

Mais tarde naquele mesmo ano, logo após a derrota na série por 3–1, enquanto praticava arremessos na Universidade de Brandeis, Lewis sofreu uma parada cardíaca e, infelizmente acabou falecendo precocemente aos 27 anos. Sua camisa 35 foi aposentada pelo Celtics e esse trágico capítulo marcaria a queda da franquia.

Ainda em 1993, Kevin McHale, outra lenda da história do Celtics, se aposentou do basquete. Na temporada seguinte, mesmo com a chegada de um novato promissor — o croata Dino Radja — a equipe de Massachusetts teve uma campanha negativa (32-50) e sequer chegou aos playoffs de 1993–94. Para piorar, o último membro do Big-3 dos anos 80, Robert Parish, deixou o time e assinou com o Hornets — algoz da temporada passada — na offseason.

A demolição do lendário Jardim e a tentativa de reconstrução

Outro acontecimento impactou a década noventista da franquia, e da cidade, e não estou falando da contratação do lendário dunker Dominique Wilkins, mas sim a despedida do ginásio mais emblemático e histórico da NBA, o Boston Garden. A demolição do ginásio — que já recebeu o discurso de John F. Kennedy — aconteceu em 1997, dando espaço para a construção do atual TD Garden.

Paralelamente, os torcedores sofriam com a lamentável gestão de Rick Pitino, considerado o pior presidente da história do Celtics. Naturalmente, a franquia colecionou campanhas bem abaixo da média, dentre elas, a pior da história de sua história (15–67), em 1996–97 — justamente no seu aniversário de 50 anos. Porém, as escolhas do Draft — Antoine Walker (96) e Paul Pierce (98) — e a heroica vitória contra o quase imbatível Chicago Bulls (1997–98), na inauguração do TD Garden, trouxeram esperança para a torcida.

O saldo de uma década pouco dourada

Foto: Divulgação/NBAE

Liderados por Pierce e Walker, o Boston Celtics terminou a década de 90 com grandes ambições para o futuro. Era o começo da Era Pierce, que colocaria a cidade, que respira esporte, de volta aos holofotes da NBA, anos mais tarde na conquista do título de 2008. Dessa forma, mesmo com as tragédias de Reggie Lewis e Len Bias (em 1986), e com uma rebuild (reconstrução) que pendurou por anos, o Celtics nunca perdeu sua tradição e se manteve como o maior campeão da história da NBA, ao lado de seu rival Los Angeles Lakers — ambos com 17 títulos.

Recomendação cultural

Deixo aqui uma recomendação cultural que ilustra perfeitamente esta era. Em 1996, durante a seca de títulos, foi lançado o filme Celtic Pride (Lance Livre, no Brasil) que mostra a história de dois torcedores fanáticos pelo Celtics que, em plenas finais da NBA, decidem sequestrar o melhor jogador do Utah Jazz — sim, essa realmente foi a final que fizeram no filme — para dar fim ao jejum de 10 anos.

O filme conta com Dan Aykroyd (Caça-Fantasmas, Os Irmãos Cara de Pau), Damon Wayans (o Michael Kyle de Eu a Patroa e as Crianças), Daniel Stern (Esqueceram de Mim), Bill Walton, Bob Cousy e Larry Bird. Fica a recomendação aos torcedores apaixonados por um filme de basquete e da Sessão da Tarde.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: