Kelly Loeffler vs WNBA: Uma briga muito além das quadras

O ano de 2020 foi muito marcado pelos protestos e lutas por causas sociais que originaram o movimento Black Lives Matter. Ao redor do mundo, muitas ligas esportivas fizeram protestos antes do jogo, e a WNBA não ficou de fora. No entanto, isso gerou uma polêmica com Kelly Loeffler, senadora republicana do estado da Georgia e co-proprietária do Atlanta Dream, uma franquia da liga.

A WNBA é uma das ligas de esportes mais engajadas nas lutas por causas sociais, e por conta disso, foi decidido antes da temporada começar que as jogadoras iriam entrar em quadra usando camisas com mensagens como: Black Lives Matter e Say Her Name. Contudo, Kelly foi contra o movimento, alegando que “uma agenda política específica mina o potencial do esporte e envia uma mensagem de exclusão”. Ainda, pediu ao comissário Cathy Engelbert para que as atletas usassem uma bandeira dos EUA nos uniformes em vez das camisas do BLM.

A senadora também acusou o movimento do BLM de possuir “visões antissemitas” e de promover “violência e destruição ao entorno do país”, além de difamar o movimento em uma participação no Fox News. “Essa é uma organização muito segregacionista, baseada em princípios marxistas. Nessa semana, eles ameaçaram queimar o sistema, literal e figurativamente, se não conseguirem o que querem. Esta é uma organização que visa destruir os princípios americanos, e eu tive que traçar os limites” — disse Kelly.

Em seguida, a franquia soltou uma nota oficial assinada por todas as jogadoras do Atlanta Dream, que dizia: “Nós somos mulheres do Atlanta Dream. Nós somos mulheres que apoiam um movimento. Nós somos fortes e somos destemidas. Oferecemos voz aos que não têm voz. Nosso time é unido em um movimento pelo Black Lives Matter. Não é extremo exigir mudanças após séculos de desigualdade. Esta não é uma declaração política, é uma declaração de humanidade”.

Logo depois que o Atlanta Journal Constitution publicou um artigo sobre a carta, a WNBA soltou uma nota explicando que Loeffler “não está mais envolvida no dia a dia do Dream”. A nota também revelou que ela não participava mais do Dream desde outubro de 2019. “A WNBA é baseada no princípio de tratamento igualitário e justo para todas as pessoas e nós, junto com as equipes e jogadores, continuaremos a usar nossas plataformas para defender vigorosamente a justiça social” — disse Engelbert no comunicado.

No dia 4 de agosto de 2020, jogadoras do Atlanta Dream e do Phoenix Mercury apareceram em rede nacional com blusas pretas, com uma mensagem escrita em branco na parte da frente: ‘VOTE WARNOCK’. Jogadoras de toda a liga começaram a vestir aquelas camisetas naquele dia e a mensagem se espalhou nas redes sociais. Elizabeth Williams, jogadora do Dream, lembra de uma confusão na época. “As pessoas pensavam: quem é Warnock?”, ela diz.

Raphael Warnock, do Partido Democrata, era o rival de Loeffler para o cargo de senador na Georgia, e as jogadoras da WNBA vieram a público para dar apoio ao candidato, o que deu resultado. No dia 5 de janeiro, o democrata venceu o segundo turno contra Kelly, tornando-se o primeiro senador negro da história da Georgia. Essa vitória também combinou com a eleição do também democrata Jon Ossoff, que venceu o então senador em exercício David Purdue, fazendo com que a Geórgia mudasse do vermelho para o azul no senado.

O caso citado acima está longe de ser o único em que a WNBA colaborou para as eleições no país. As jogadoras trabalharam duro para recrutar funcionários eleitorais para as eleições gerais e na Geórgia. Como alguns exemplos, Tiffany Hayes ajudou a hospedar um evento de registro de eleitores na academia que ela possui em Atlanta, Elizabeth Williams trabalhava em um banco de telefones, Renee Montgomery conversou com estudantes de todo o estado, explicando a importância particular do segundo turno da Geórgia para o futuro do país, e várias jogadoras postaram se posicionaram em suas redes sociais.

“Eu realmente queria ter certeza de que as pessoas entendiam que você não pode ficar de fora”, diz Montgomery. Um dia antes do segundo turno, a organização de direitos de voto fundada por LeBron James More Than A Vote, divulgou um anúncio de “get-out-the-vote”, dublado por Montgomery, Hayes e Elizabeth e Courtney Williams. No verão, Renee Montgomery pediu a Bird que lhe enviasse uma camiseta ‘Vote Warnock’. “Preciso pegar uma camisa, mas não deveria mais dizer ‘Vote Warnock’. Eu preciso ter uma camisa que diga, ‘We Got It’ (Nós Conseguimos Isso, em inglês).”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: