Bobby Lashley se torna o 3º negro a ser campeão da WWE

O Pro-Wrestling (luta-livre para os brasileiros) é um esporte tradicional que mistura a luta com o teatro, uma combinação que gera entretenimento ao redor do mundo. A WWE, maior empresa do mundo no ramo, decidiu tomar uma ótima decisão para seus telespectadores e também para sua história, apesar de ser feita de uma forma controversa.

No “Monday Night Raw” da segunda-feira, dia 1º de Março de 2021, Bobby Lashley enfim vence seu título mundial da WWE após 6 anos de empresa, sendo assim o 3º lutador negro a conseguir o feito, igualando Dwayne “The Rock” Johnson e Kofi Kingston. Outros lutadores como Mark Henry (Medalhista do Pan de 95 em levantamento de peso) e Booker T também foram campeões mundiais, mas vencendo o World Heavyweight Championship que era utilizado primeiramente pela WCW (empresa de Pro-Wrestling adquirida pela WWE em 2001) e depois para o “SmackDown”, segundo programa de televisão da companhia.

Contexto

Para quem não acompanha ou simplesmente nunca assistiu a um programa, toda semana há uma história ou uma rivalidade a ser contada pelos lutadores que precisam demonstrar suas habilidades físicas e no microfone, já que é necessário cativar o público a se entreter com os fatos que ocorrem durante o evento. Ultimamente o “Raw” vem passando por reformulação devido a pandemia, além também da queda de audiência relativa aos anos anteriores, e é aí que entra Lashley.

Bobby, que havia retornado a WWE em 2018, faz parte de um grupo chamado “The Hurt Business”, liderado e treinado pelo futuro Hall da Fama MVP e com a presença de Shelton Benjamin e Cedric Alexander, os atuais campeões de duplas do “Raw”. Com eles, se tornou pela 2ª vez campeão americano e demonstrou ainda mais sua força e talento no ringue, provando a todos que sua hora havia chegado.

Como aconteceu

Após perder o título americano para Matt Riddle no “Elimination Chamber”, Lashley atacou o então campeão mundial Drew McIntyre e colaborou para que Miz usasse a maleta do “Money In The Bank” (maleta que garante uma luta contra o campeão) e conseguisse seu segundo título mundial. No show seguinte, Bobby confrontou Miz em busca do cinturão para uma luta marcada para esse último “Raw”.

Foto: Reprodução da Internet

Para Lashley enfim ter seu momento de glória, tiveram que ter duas lutas, uma vitória via contagem fora do ringue, o que é tratado como desclassificação e o campeão retém o título apesar da derrota, e a outra foi a “Lumberjack Match” em que diversos lutadores do elenco do “Raw” rodearam o lado de fora do ringue para que nenhum lutador escape, sendo assim Bobby vence Miz com seu golpe finalizador e vira o 3º campeão negro da história do título máximo da WWE, dando orgulho ao seu treinador MVP e enfim realizando o sonho de todo lutador.

Críticas

Apesar dessa vitória marcar uma nova era de dominação e de futuras grandes lutas contra nomes como Brock Lesnar, Drew McIntyre e Braun Strowman, a WWE poderia ter feito de forma mais marcante para todos os lutadores envolvidos, já que constantes mudanças de campeões mundiais em um curto espaço de tempo podem desvalorizar seu principal cinturão e fazer com que o público alvo se desinteressar pelo produto, o que aconteceu com a WCW em seus últimos anos antes de ser vendida.

Um exemplo de acerto foi com o último campeão negro, Kofi Kingston, que depois de 10 anos de empresa conseguiu o título na “Wrestlemania”, o maior evento de Pro-Wrestling no mundo. Lashley terá grandes chances de lutar na “Wrestlemania” sendo campeão mundial e merece uma luta com um adversário que o faça ser o campeão que ele merece ser.

Representatividade

Esse título também marca uma geração de lutadores negros, que, em sua grande maioria, conquistaram mais campeonatos medianos que os principais, e também ajuda com que uma nova geração de talentos veja um ídolo que a represente dentro do maior palco da luta-livre do mundo.

Foto: WWE via Twitter

Com esse feito há uma grande chance de que, no futuro, haja mais pessoas capacitadas que vençam seus títulos pelo seu talento, não por sua aparência. Nomes como Bobo Brazil, primeiro lutador negro a entrar no Hall da Fama da WWE, e Junkyard Dog tiveram que lutar contra adversários e preconceitos desde os anos 50 para que cada vez mais jovens negros se interessem pelo esporte e busquem o sucesso, o que é um exemplo de Rocky Johnson, pai lutador de Dwayne Johnson que o inspirou para buscar o mesmo futuro.

A WWE tem grandes lutadores para manter o entretenimento e a grande qualidade nas lutas, mas tem que haver um melhor roteiro para que a audiência volte a subir e que a AEW(atual rival) não consiga números maiores. Lashley tem tudo para ter um ótimo reinado que demonstre a sua realidade de dominação dentro do universo do Pro-Wrestling e que escreva mais um capítulo para os afrodescendentes na história de um dos esportes mais populares do mundo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: