Você sabe por que o Coritiba é o time mais vitorioso do mundo?

No último domingo (07), o Manchester City perdeu para o arquirrival Manchester United em casa, pelo placar de 2×0. Isso pôs fim à sequência de 21 vitórias consecutivas da equipe de Pep Guardiola, impossibilitando a quebra do recorde de equipe com mais vitórias em sequência da história do futebol.

Apenas duas equipes possuem mais vitórias seguidas que esse City: o Bayern de 2019/20, com 23, e, acredite se quiser, o Coritiba de 2011, com 24. O Coxa atingiu esse incrível feito entre partidas do Campeonato Paranaense e da Copa do Brasil, com direito a goleadas em clássicos e contra um gigante do futebol brasileiro.

E hoje, trarei a história desse feito, um dos maiores da história do clube campeão brasileiro. Boa leitura!


Contexto

Após um trágico rebaixamento no ano de seu centenário em 2009 — que gerou uma das brigas mais memoráveis do século no futebol brasileiro —, o bom ano de 2010 sob o comando do técnico Ney Franco deu ao verdão duas taças: a do estadual, de forma invicta, e a da Série B. Com isso, o ambiente já estaria bem mais tranquilo no início de 2011.

Foto: Banda B

Entretanto, o bom desempenho na Série B fez com que Ney Franco recebesse uma proposta da CBF para comandar as seleções de base, algo prontamente aceito. Com isso, novas incertezas passaram a surgir quanto ao 2011 do Coritiba e, na beira do caos, decidiu trazer Marcelo Oliveira, sem clube desde outubro de 2010, quando foi demitido do rival Paraná Clube.

O início de Marcelo parecia promissor com o acúmulo de 3 vitórias e 2 empates nos 5 primeiros jogos do estadual de 2011. No entanto, era inimaginável o que estaria por vir a partir da sexta rodada.


O início da sequência de vitórias

O grande feito começou na goleada de 5×0 sobre o Iraty, na 6ª rodada. Em seguida, venceu o Rio Branco por 4×1, o Corinthians/PR — atual J Malucelli — por 3×1 e o Roma — que não existe mais — por 3×0. Além disso, também venceu o Ypiranga/RS, em sua estreia na Copa do Brasil, pelo placar de 1×0.

Em seguida, veio a primeira conquista do Coxa nessa sequência, e em grande estilo. O verdão enfrentou o arquirrival Atlético-PR — hoje Athletico — e logo aos 24 minutos de jogo, o placar já estava 3×0. O rival ainda deu emoção ao jogo, chegando a diminuir a vantagem para 3×2, mas Davi fez o quarto aos 26 da etapa final e matou o jogo. Com o resultado, o Coritiba levou a vitória por 4×2 e a taça de campeão do 1º turno, com uma rodada de antecedência, para casa.

Foto: UOL

Para fechar essa parte do texto, ainda houve mais dois triunfos: novamente contra o Ypiranga, em jogo válido pela volta da Copa do Brasil, por 2×0, e contra o Cianorte, pela última rodada do turno, por 2×1.


O mágico returno e a quebra do recorde nacional

Se eu for detalhar todos os placares dos jogos, esse texto ficará enorme. Então já adianto: o Coxa venceu todos os 11 jogos do returno, com direito a várias goleadas — 4×2 no Paraná Clube, 4×2 no Iraty, 6×2 no Rio Branco e 4×1 no Roma. Mas o melhor dos placares elásticos veio na penúltima rodada.

Novamente contra o arquirrival Atlético, o verdão aplicou um sonoro 3×0 na casa do adversário e garantiu o título do 2º turno do Campeonato Paranaense. Como já havia levado o primeiro turno, o Coritiba já foi nomeado o campeão estadual, não sendo necessária a final. Também como no turno inicial, o Coritiba venceu o Cianorte na última rodada, mas dessa vez por 2×0.

Foto: Portal Cambé

Em meio a toda essa sequência de 11 vitórias em 11 jogos no returno, ainda houve mais confrontos pela Copa do Brasil, batendo o Atlético/GO por 3×1 e 2×1 e o Caxias por 4×0. Uma informação que omiti do parágrafo anterior foi que os 3×0 no Atlético marcaram o 21º triunfo consecutivo, empatando com o Palmeiras de 1996 no posto de mais vitórias em sequência no futebol brasileiro. Assim, o recorde foi quebrado na partida posterior ao Atletiba, no jogo de volta da Copa do Brasil contra o Caxias, que terminou em 1×0.

E se você acha que isso tudo acabaria ali, saiba que está enganado.


Coritiba 6×0 Palmeiras: o grande marco dessa sequência

A vitória contra o Cianorte mostrada na parte anterior do texto marcou a 23ª vitória seguida do Coritiba. Com mais essa vitória, a mídia paranaense começou a se perguntar quando a equipe coxa-branca iria parar de vencer, pois empatar ou perder jogos são coisas inerentes ao futebol. Ainda havia um agravante: o próximo adversário seria o Palmeiras, nas quartas de final da Copa do Brasil, e assim, as chances da quebra da sequência finalmente acontecer aumentariam.

No entanto, quando se ganha 23 partidas seguidas, a confiança dos atletas sempre vai estar muito elevada. Um caso engraçado é contado por um jogador do elenco à época, durante a preparação para esse jogo histórico:

“Tava eu, (Léo) Gago e Rafinha na mesa do lanche, e o professor (Marcelo Oliveira) comentou com eles sobre os dois cartões amarelos que eles tinham, pois eles ainda teriam o jogo de volta das quartas e estariam suspensos se tomassem outro cartão. Daí, alguém falou que daria pro pessoal forçar o cartão depois que estivesse 3×0. Eu fiquei quieto na hora, mas pensei: ‘pô, o pessoal tá confiante demais, os caras tão viajando’ “.

E com essa confiança, os paranaenses foram para cima do Palmeiras no Couto Pereira e aplicaram uma goleada histórica: 6×0, com cada um dos gols sendo marcados por um jogador diferente — Emerson, Davi, Léo Gago, Bill, Geraldo e Anderson Aquino. E sim, Léo Gago e Rafinha acabaram realmente forçando o terceiro cartão depois que o jogo estava decidido.

Foto: Esportes Band – UOL

No jogo da volta, com alguns desfalques por conta do cumprimento de suspensão de alguns jogadores do Coxa, a invencibilidade finalmente caiu após vitória palmeirense por 2×0, mas que garantiu o alviverde na semifinal da competição. E assim, acabava uma sequência que ficará marcado pra sempre na memória de quem viveu esse momento.


Presença no Guinness Book

Com o passar do tempo, cogitou-se que a sequência coxa-branca poderia ter não só sido um recorde nacional, mas também mundial. Dessa forma, foi efetuado um cadastro no Guinness para consulta do possível recorde, e a partir daí uma empresa terceirizada passou a pesquisar a veracidade do recorde.

Essa empresa encontrou campanhas do Benfica, com 32 vitórias entre 1971 e 1973, do Nacional do Uruguai, com 29 entre 1940 e 1942, e do Al-Faysali, da Jordânia, com 28 entre 2001 e 2002. Todavia, esses dados foram tirados apenas de competições nacionais, havendo tropeços em meio a essas vitórias. Assim, depois de mais de três meses de pesquisa, o Guinness reconheceu que o Coritiba havia quebrado o posto de mais vitórias consecutivas na história do futebol.

No início de outubro, próximo a seu aniversário de 102 anos à época, o Coritiba anunciou por meio de seu vice-presidente, Vilson Ribeiro de Andrade, o certificado do Guinness que eternizou o feito.

Foto: Coritiba FC

O Coritiba ainda chegou à final da Copa do Brasil, perdendo para o Vasco. Foram incríveis 74 gols marcados e 26 sofridos durante os 24 jogos. O time base era formado por Edson Bastos; Jonas, Pereira, Emerson e Eltinho (Lucas Mendes); Leandro Donizete (William), Léo Gago, Rafinha e Davi; Marcos Aurélio (Anderson Aquino) e Bill, além das presenças de futuros grandes jogadores no elenco, como Everton Ribeiro e o goleiro Vanderlei.

Todos esses feitos em apenas um ano farão de 2011 uma temporada inesquecível para o torcedor do time do Alto da Glória.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: