Divertidíssimo, ‘Space Jam: Um Novo Legado’ é um verdadeiro show de referências – Resenha [sem spoilers]

A continuação do clássico de 1996, Space Jam: Um Novo Legado diverte os mais jovens e apresenta incontáveis referências do basquete e da cultura pop


Após quase 25 anos desde o lançamento de ‘Space Jam – O Jogo do Século’, volta aos cinemas uma sequência do clássico dos estúdios Warner. Naquela época, Michael Jordan reinava como a maior figura esportiva do mundo e, dessa vez, coube a LeBron James pegar o “bastão” como protagonista de uma das tramas mais “nonsenses” da história do cinema — cuja premissa é construída em torno de um astro do basquete jogando ao lado dos carismáticos Looney Tunes.

Assim como a obra original, ‘Space Jam: Um Novo Legado’ (ou simplesmente Space Jam 2) tem um público-alvo bem definido. Embora o apelo nostálgico esteja muito presente, ainda é um filme infanto-juvenil. Sendo assim, o foco de Space Jam 2 não está em um “roteiro bem amarrado” ou numa “trama intrigante”. O seu grande objetivo é entreter o público — e certamente este objetivo foi cumprido com sucesso.

Repleto de piadas clássicas dos Looney Tunes — como as antológicas falhas do Coiote em pegar o Papa-Léguas —, o filme consegue se adaptar bem aos dias de hoje, abordando o conceito dos algoritmos para a criação de um ‘Universo da Warner Bros’. Filmes, animações e séries famosas da Warner estão presentes numa sequência de cenas em que LeBron e os Looney’s procuram integrantes para a equipe.

Contudo, um dos grandes problemas do filme está exatamente no uso exagerado da marca da Warner Bros. Por mais que as referências e citações envolvendo o estúdio estejam contextualizadas, o filme peca na exposição exacerbada da empresa. Esse ponto que vem sendo utilizado pela crítica para diminuir Space Jam 2 — e não podemos tirar a razão dos críticos nesse quesito.

Porém, para um fã de basquete, essa continuação é excepcional. A dramatização de LeBron James e sua família (composta de atores) não é perfeita, mas não compromete. A relação de pai e filho entre LeBron e Dom James (interpretado por Cedric Joe) é crível e preenche a carga dramática da história.

A animação e os efeitos visuais são o ponto alto, assim como a ideia de a grande partida não ser um ‘jogo tradicional’ de basquete. A disputa final é um verdadeiro jogo de videogame 3D, com direito a poderes especiais e “pontos por estilo” — em alusão ao clássico NBA Jam. Dessa maneira, o diretor Malcolm D. Lee pôde se desvencilhar de qualquer compromisso com a realidade para entregar cenas divertidíssimas dentro da quadra.

Space Jam 2 ainda conta com o excelente Don Cheadle — o Máquina de Combate do Universo Marvel — interpretando o vilão, além de atletas da NBA e WNBA integrando o “Esquadrão Valentão” — são eles: Anthony Davis, Diana Taurasi, Damian Lillard, Nneka Ogwumike e Klay Thompson.  

A produção foi lançada nos cinemas no dia 15 de julho e, em breve, estará disponível no serviço de streaming HBO Max. Independente da idade, vale a pena conferir essa história leve, despretensiosa e que segue divertindo gerações.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: