As primeiras impressões do novo Philadelphia 76ers, agora sem Ben Simmons

Por Eike Paes Leme

As atuações de Philly têm chamado bastante a atenção até aqui, principalmente no ataque. Mesmo sem o playmaking e a defesa de elite do Ben Simmons, o time conseguiu se estabelecer como o melhor ataque da liga, estratégia baseada para tentar se fazer mais pontos que certamente vão tomar, sem o impacto defensivo de um jogador como Simmons.

Joel Embiid vem sendo uma peça muito mais central no nosso ataque, participando de toda jogada e muitas vezes fora do garrafão (essa parte me incomoda, gosto de ver o Pivô ativo na área pintada), e o Tobias Harris deve vir pra outra temporada muito boa e subestimada, tendo uma constância importante nos momentos mais decisivos das partidas. Sem Simmons, certamente vai se provar como o 2° melhor jogador do time mesmo.

Também podemos notar coisas bem interessantes nos jogos dessa última semana, principalmente vindo dos role players. A vitória contra o Hawks me empolgou muito pela consistência no ataque e na defesa. Conseguimos dominar o Hawks do início ao fim e sem sustos, com direito a boa atuação do nosso banco — principalmente do Thybulle e do Niang.

Já na partida dessa segunda (1), contra Portland, fomos desfalcados dos nossos dois melhores jogadores, Embiid e Tobias. Contra um Blazers completo, porém jogando bem abaixo nessa temporada, nosso ataque foi consistente, com destaque para o Seth Curry e o Andre Drummond (sim, eu não tô acostumado a falar isso do Dru).

Inclusive, precisamos falar sobre esses dois. Seth até aqui, tem novamente um dos melhores aproveitamentos de bola de 3 na liga, com 54%. Enquanto isso, o Drummond, que veio muito como um meme, está se provando útil nos momentos em que o Embiid está fora, principalmente nos rebotes e finalizando pontes aéreas no ataque, e até trazendo uma boa experiência pro banco e momentos interessantes carregando a bola na transição.

No primeiro tempo, tivemos algumas dificuldades, mas nada que o Tisse não possa consertar. Já no segundo tempo, tanto o ataque quanto a defesa foram muito bem e conseguiram neutralizar o Blazers: Niang foi ótimo nos dois lados e foi o segundo em pontuação do time, com 21 pontos, mesmo vindo do banco. Enfim, ótima vitória e que dá uma moral enorme pro time.

Maxey nessas duas partidas não fez nada que encha o box score, mas sua energia em quadra, sua marcação em cima do Trae Young no sábado e suas infiltrações combinadas com sua força física e empenho no ataque estão sendo importantes demais. Curioso pra ver como vai ser essa quarta (3), contra o Bulls.

Bulls, esse que é o meu medo: 6×1 na temporada, com LaVine e DeRozan fazendo partidas dignas de top 10 da NBA hoje, com o coletivo encaixado em ambos os lados, e agora eles tem um pivô que, talvez, consiga marcar o Embiid melhor que o Wendell Carter Jr.

A falta de mobilidade do Tobias no ataque fará falta contra um time de defesa forte igual ao Bulls. Acredito que, se ganharmos, será com uma vitória apertada, angustiante e decidida nos últimos segundos, e se perdemos; vai ser do mesmo jeito. Não estou esperando a vitória, mas não seria um absurdo se ela vier.


Ainda temos uma amostra bem pequena para saber onde esse time pode realmente chegar. No entanto, o crescimento dos dois principais jogadores do time e os impactos positivos dos jogadores operários desse 76ers nos dão o otimismo que dá para fazer uma ótima temporada, mesmo com a ausência de Ben Simmons.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: