Master P: o rapper que jogou na NBA

Um breve resumo da curta carreira profissional de Master P, que foi do Hip-Hop para a NBA

O começo da temporada 1998-99 da NBA foi marcante. Michael Jordan havia se aposentado, a liga acabará enfrentar um lockout feito pelos jogadores e temia-se que a popularidade do esporte caísse novamente, vide os anos 70 — até o surgimento da rivalidade entre Magic e Bird. Foi nesse contexto que o Charlotte Hornets decidiu ousar ao oferecer um contrato ao rapper de 31 anos Master P, algo inédito na história do basquete.

Quem é Master P?

Percy Robert Miller, popularmente conhecido como Master P, é um rapper e produtor musical que ganhou notoriedade no final dos anos 90, mais precisamente em 1997, quando lançou o single “Make ‘Em Say Uhh!” por sua própria gravadora, a No Limit Forever Records.

Master P também era um grande amigo de Tupac Shakur, e chegou a abrir os seus shows. Ao longo de sua carreira artística, ganhou prêmios como o American Music Award de Artista Favorito de Rap/Hip-Hop em 1999, e atuou em diversos filmes como “Gone in 60 Seconds” com Nicholas Cage e Angelina Jolie, no ano de 2000. Contudo, o fato mais curioso de sua vida ainda aconteceu no esporte.

Como foi a passagem de Master P pela NBA?

Agora que Master P foi devidamente apresentado, vamos retomar a introdução desta matéria. O Charlotte Hornets — assim como a NBA em geral — precisava de um jogador que trouxesse público. Pois bem, eles conseguiram. Em jogo de pré-temporada, eram esperados 8 mil espectadores para ver a estreia de Master P. Antes mesmo do início da partida, fãs fizeram fila para ver o rapper e obrigaram o Hornets a abrir os portões 20 minutos mais cedo. Resultado: 15.371 torcedores foram prestigiar o evento.

Foto: Reprodução da Internet

Na partida, o rapper foi anunciado como Percy Miller, vestiu a camisa de número 15 e, em 16 minutos, marcou 9 pontos (três acertos em seis tentativas), distribuiu 4 assistências, pegou 2 rebotes e cometeu apenas um turnover. Nada mal para um artista, mas não foi o suficiente para que o Hornets renovasse seu contrato para a temporada regular.

Entretanto, em uma nova oportunidade, numa nova franquia — o Toronto Raptors era o time da vez — para a pré-temporada de 1999-00, Master P pôde jogar mais uma partida. Porém, seus 8 pontos não foram suficientes para impressionar a franquia canadense, que também optou por não renovar com o artista.

Por que Master P não se firmou?

Foto: Reprodução da Internet

Embora tenha começado a jogar basquete com 5 anos de idade, Percy teve sua vida dedicada a carreira artística. De acordo com seus companheiros e ex-treinadores, Master P tinha certo talento e um bom físico, porém não o suficiente para o nível de um atleta da NBA. Mesmo tendo bom manuseio, e arremessando bem, faltava explosão e velocidade para que ele pudesse jogar como armador (1,93 de altura), especialmente na defesa.

Além das questões físicas, Master não possuía experiência profissional dentro de quadra e carecia de fundamentos técnicos. Ele poderia ser lapidado, mas exigiria tempo e nenhuma franquia da liga estaria disposta a trabalhar um jogador tão “cru”. De todo modo, tratava-se de um músico. Apenas o fato de ter pontuado em dois jogos da NBA é um feito e tanto, ainda mais aos 31 anos.

O amor pelo basquete

Foto: Reprodução da Internet

Mesmo com as portas da NBA se fechando, sua paixão pelo basquete falou mais alto, e Master P seguiu jogando basquete por outras ligas nos anos seguintes. Dessa forma, jogou pelo Fort Wayne Fury na Continental Basketball Association (CBA) durante os anos 90. Já entre 1999 e 2001 atuou pelo San Diego Stingrays da International Basketball League e, em 2004, jogou em dois times da ABA: Las Vegas Rattlers e Long Beach Jam.

Em 2008 voltou para a NBA, mas desta vez para participar do Jogo das Celebridades, em New Orleans — sua cidade natal. Na ocasião, aproveitou os holofotes para deixar o seu “cartão de visitas” para a liga, marcando 17 pontos e sendo um dos destaques da partida. Voltou a participar em 2017, novamente em New Orleans, e enfrentou ninguém menos que Oscar Schmidt.

Atualmente tem uma equipe na AAU (Amateur Athletic Union) chamada P Miller Ballers que viaja ao redor do país em diversos eventos. Além disso, também treinou outro rapper que, segundo ele, quer seguir seus passos na maior liga de basquete do mundo — estamos falando de J. Cole!


Um comentário sobre “Master P: o rapper que jogou na NBA

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s