Os 5 maiores vexames da história da Copa do Mundo

O maior evento de futebol do planeta também foi palco de alguns vexames protagonizados por grandes seleções

2022 é ano de Copa do Mundo e nós, do Fora da Linha, iremos produzir matérias especiais com histórias e curiosidades de um dos grandes eventos esportivos do planeta. Neste primeiro texto, relembramos alguns dos maiores vexames da história da competição. Boa leitura!


Menção Honrosa: A eliminação precoce da França (2002)

Foto: Reprodução da Internet

Por pouco essa eliminação não entrou na lista. Após o título em casa diante do Brasil na edição anterior, a França chegou para a Copa de 2002 como uma das grandes favoritas ao título. O time de Zidane, Henry, Trezeguet, Thuram e Viera sucumbiu na fase de grupos. Nos três jogos contra Senegal (0 a 1), Uruguai (0 a 0) e Dinamarca (0 a 2), a equipe somou um único ponto e não marcou nenhum gol sequer. Curiosamente, a mesma seleção chegou a mais uma final no Mundial seguinte.

5- O regime nazista é derrotado no futebol (1938)

Foto: Reprodução da Internet

No auge do regime nazista, Adolf Hitler queria mostrar, através do esporte, a “superioridade alemã” sobre as outras nações. Além dos Jogos Olímpicos de 1934 em Berlim, a Copa do Mundo de 1938, na França, era cobiçada pela política propagandista do ditador. Para a competição, os alemães contaram com o reforço dos jogadores austríacos, que haviam enfrentado na disputa de terceiro lugar da Copa anterior (partida vencida pela Alemanha por 3 a 2).

Em outras palavras, era de fato uma seleção muito forte e que despontava como favorita para erguer a Jules Rimet. No entanto, ninguém combinou com o adversário, a Suíça. Após um empate de 1 a 1 no primeiro jogo, os suíços aplicaram aquilo de fazem de melhor: um verdadeiro chocolate de 4 a 2. No ano seguinte a Segunda Guerra Mundial teve seu início e, com isso, a derrota final de um regime vergonhosamente asqueroso.

4- De campeã à lanterninha do grupo (2010)

Foto: Reprodução da Internet

Assim como a França em 2002, a seleção italiana conseguiu a proeza de ser eliminada na fase de grupos após um título mundial. Contudo, a Azzura cavou seu lugar na lista devido ao nível de seu grupo. Na África do Sul, em 2010, a Itália caiu no Grupo F com Paraguai, Nova Zelândia e Eslováquia. Com todo favoritismo do mundo ao seu lado, a equipe de Cannavaro, Buffon e companhia foi a lanterna do grupo, com apenas 2 pontos.

Na campanha, os italianos empataram contra Paraguai (1 a 1) e Nova Zelândia (1 a 1) e perderam, de forma dramática, para a Eslováquia (2 a 3) em um duelo de vida ou morte. Além disso, as edições seguintes foram ladeira abaixo para o país. Em 2014, mais uma eliminação na fase inicial. Já em 2018 e no mundial deste ano, a Itália sequer se classificou para a disputa. Definitivamente são anos difíceis para os amantes do Calcio.

3- Chuva de tomates na Itália… E não era para uma pizza! (1966)

Foto: Reprodução da Internet

Novamente a Itália aparece na lista e novamente com uma eliminação da fase de grupos. A situação, porém, foi ainda pior nessa ocasião. A Copa da Inglaterra de 1966 — que teria outro campeão se houvesse VAR na época — foi o palco da pior derrota da história do futebol italiano. Ao contrário de 2010, a situação do país não era tão ruim.

O time vinha de uma vitória para o Chile (2 a 0) e uma derrota para a União Soviética (0 a 1). A Coreia do Norte, por outro lado, havia perdido para os soviéticos (0 a 3) e empatado com os chilenos (1 a 1). Dessa forma, a Itália só precisava de um empate para se classificar, enquanto a Coreia teria que vencer e secar o Chile na última rodada.

O futebol norte-coreano na época tinha amador e as apostas eram de 1000 a 1 para os europeus. Dentro de campo, o favoritismo morreu. A Coreia do Norte venceu por 1 a 0 e se classificou com a vitória da União Soviética (2 a 1), no dia seguinte. Na volta para casa, a seleção italiana foi recebida com tomates e frutas podres.

2- O “Football” é derrotado pelo “Soccer” (1950)

Foto: Reprodução da Internet

Se engana quem pensa que o grande vexame da Copa de 1950 tenha sido o Maracanaço. Além da improvável vitória uruguaia no Rio de Janeiro, o Estádio Independência recebeu uma das maiores zebras da história do esporte. A Inglaterra, famosa por ter criado as regras do futebol, teria pela frente os Estados Unidos que, na época, não tratava o esporte com o devido valor.

O time norte-americano para o Mundial era semiprofissional. Os jogadores daquela seleção trabalhavam em outras profissões como: professor, carteiro, médico, lavador de pratos e até mesmo motorista funerário. Era inimaginável qualquer resultado diferente de uma vitória para os ingleses. O jornal britânico Daily News chegou a publicar que “seria justo que a partida já começasse 3 x 0 para os americanos.”

Dentro das quatro linhas, o time dos EUA marcaram um gol no primeiro tempo e se fecharam garantindo assim uma vitória tratada como o “Milagre de Belo Horizonte”. A partida foi tão marcante que deu origem ao filme “The Miracle Game”, lançado em 2005 e baseado no livro de Geoffrey Douglas.

1- “E lá vêm eles de novo”… (2014)

Foto: Reprodução da Internet

Pois é, não poderíamos terminar a lista com outro jogo. O que ocorreu na terça-feira do dia 8 de julho de 2014 dispensa qualquer apresentação. País-sede do evento, a seleção brasileira foi derrotada na semifinal da Copa para a Alemanha. Isso, por si só, já seria traumático o suficiente para qualquer brasileiro. O problema é que não foi uma mera eliminação. O placar do jogo foi simplesmente 7 a 1.

Esta foi a maior diferença de gols de uma semifinal de Copa do Mundo, a maior diferença de gols em partidas de seleções campeãs mundiais, a maior derrota de um país-sede e a maior derrota da história do Brasil em qualquer partida oficial. Além da goleada, Miroslav Klose chegou a seu décimo sexto gol em Mundiais e ultrapassou Ronaldo Fenômeno como o maior artilheiro da história da competição.

A goleada foi piada nacional e um verdadeiro trauma para o futebol brasileiro. Nenhum fã do esporte no planeta esperava um placar tão impactante entre duas seleções de ponta. Foi, sem sombra de dúvidas, o evento mais traumático do esporte brasileiro pós-morte de Ayrton Senna e já faz parte da história do país.


E aí, curtiu a lista? Acha que faltou alguma seleção? Comente aí embaixo e compartilhe o texto nas redes sociais. Agradecemos por ler até aqui e nos vemos no próximo texto!

Um comentário em “Os 5 maiores vexames da história da Copa do Mundo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s