O Legado de Chris Paul

New Orleans, Los Angeles, Phoenix e mais além: Afinal qual foi a marca que o armador deixou na NBA (até agora)

Filho de Charles Edward Paul e Robin Jones, Christopher Emmanuel Paul, apelidado pela própria família de CP3 por ter as mesmas iniciais de seu pai, cresceu em Lewisville (Texas) com seu irmão mais velho e parceiro de treino, tendo seu pai como mentor no basquete, o qual era ex-atleta.

Chris Paul e Charles Edward Paul. Foto: Divulgação/Celebrities InfoSeeMedia

No colegial, Chris atendeu a West Forsyth High School em Clemons, Carolina do Norte, seu estado natal. Em seu ano como novato, anotou médias de 25 pontos, 5.3 assistências e 4.4 roubos por jogo.

Não demorou muito para as universidades voltarem as atenções para o armador. Em seu ano como sênior, ele anotou 61 pontos em um único jogo, e revelou que cada ponto foi em homenagem a cada ano de vida de seu pai. Na mesma temporada registrou médias de 30.8 pontos e 9.5 assistências.

Destaque na NCAA

Na universidade de Wake Forest, conseguiu o prêmio de Novato do Ano, quando também conseguiu os recordes de: porcentagem de arremessos de 3 pontos, lances livres sofridos e convertidos, assistências e roubos de bola.

Não obstante, em seu tempo na universidade, os Demons Deacons se classificaram para os torneios da NCAA. Contudo, infelizmente não conseguiram o sonhado título.

No All-Team American da ESPN, Chris Paul teve nota de 3.21, unido a todas suas honrarias e méritos (North Carolina Mr. Basketball, McDonalds All-American e First-Team Consensus All-America), rendeu ao CP3 a quarta escolha geral do Draft de 2005.

A trajetória de CP3 na NBA

Draft de 2005 de Chris Paul. Foto: Divulgação/Medium

Ao ser escolhido pelo então New Orleans Hornets, CP3 vestiu as cores da franquia por 6 temporadas, liderando em duas ocasiões a liga em assistências e roubos de bola, além de levar a franquia à três aparições nos Playoffs. Em duas caindo na primeira rodada e chegando, na melhor campanha, nas Semifinais de Conferência.

Após a falha tentativa de troca que levaria o armador ao Lakers, o Hornets aceitou Eric Gordon, Al-Farouq Aminu, Chris Kaman e uma pick de primeiro rodada de Minnesota, o que levou os talentos de Paul para o Clippers.

Na segunda franquia de Los Angeles, o armador ficou mais 6 temporadas, liderando três vezes em roubos de bola e mais duas vezes em assistências, no que muitos consideraram ser o melhor time montado ao redor de CP3, o “Lob City Clippers”, composto também por Blake Griffin e DeAndre Jordan em sua melhor forma.

Até seus 31 anos, Chris Paul levou o Clippers à seis aparições na pós-temporada, sendo novamente as Semifinais de Conferência o seu melhor resultado.

Glen Rivers e Chris Paul no Los Angeles Clippers. Foto: Divulgação/Sports Illustrated

Nas quatro temporadas seguintes Chris Paul jogou em Houston (onde fez uma dupla promissora ao lado de James Harden) e Oklahoma, onde levou ambas as franquias aos Playoffs. No Rockets levou a franquia as Finais de Conferência de 2018, onde caíram no jogo 7 contra o Golden State Warriors de Stephen Curry, Klay Thompson e Kevin Durant.

Pelo Thunder, ele conseguiu a classificação que muitos julgaram surpreendente pela qualidade técnica do time que contava com o promissor Shai Gilgeous-Alexander e o veterano Steve Adams, último remanescente do time formado por Durant e Russel Westbrook.

Chris Paul e Suns batem na trave…

Atualmente, Chris Paul joga pelo Phoenix Suns. Paul chegou à franquia após uma troca por Kelly Oubre Jr., Ricky Rubio, Ty Jerome, Jalen Lecque e uma pick protegida de primeira rodada do Draft de 2022.

Próximo à Devin Booker e DeAndre Ayton, Chris Paul passou a contribuir menos em pontos, ao contrário do que fazia nas franquias anteriores. Porém, focou em tornar o time ao seu redor, melhor.

Não à toa, o Suns conseguiu chegar as Finais da NBA, onde perdeu o título para o Milwaukee Bucks de Giannis Antetokounmpo, Khris Middleton e Jrue Holiday.

Giannis Antetokounmpo Campeão da NBA e MVP das Finais de 2021. Foto: Divulgação/CNN Brasil

Alegando que estava “viciado em jogar finais da NBA”, após a derrota para o Bucks, o Phoenix recentemente amargurou a queda para o Dallas Mavericks de Luka Doncic no Jogo 7.

Mesmo atuando durante os sete jogos da série, CP3 teve seus números de pontos e assistências limitados pela defesa dos Mavs, tendo alcançado apenas 13.4 pontos e 5.7 assistências.

Com seus 36 anos, o 12x vezes All-Star é questionado sobre sua real capacidade e se ainda é capaz de trazer um título da NBA a sua atual franquia. Paralelamente sua aposentadoria parece cada vez mais “próxima”.

No segundo semestre de 2023, o armador vai para sua 17ª temporada na NBA e a pergunta que a maioria dos especialistas fazem é:

O que será do Legado de Chris Paul? Será que ele fará parte dos jogadores Hall da Fama que foram incapazes de conquistar um título?

Definitivamente, só o tempo será capaz de nos responder isso.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s