Por que o Palmeiras precisa voltar ao NBB?

A história e os motivos para o retorno do Palmeiras ao NBB ser tão aguardado pelos fãs do basquete nacional

A saída

No dia 19 de abril de 2015, a Sociedade Esportiva Palmeiras foi derrotada pelo Franca no Ginásio Pedrocão por 73 a 64. A partida significou bem mais do que uma derrota nos Playoffs do NBB – com a vitória, Franca levou a melhor de 5. O jogo em questão marcou a última partida da equipe no NBB.

Poucos meses depois, no dia 29 de junho, a equipe alviverde emitiu uma nota oficial anunciando sua saída do Campeonato Paulista e do NBB, todavia, preservando as categorias de base.

Chegava ao fim o patrocínio com a Meltex, e a equipe comandada por Regis Marrelli, que contava com os estrangeiros Toyloy, Gianella e Max Stanic, deu o seu adeus ao Novo Basquete Brasil.

A crise no futebol

Foto: Mauro Pimentel/Terra

Um dos principais motivos para o desligamento do basquete estava em outro esporte jogado com bola, mas não a laranja – o futebol. Não é segredo que a principal modalidade esportiva do Palmeiras sempre foi o futebol, e na virada do século XXI até o ano de 2015, o Palmeiras viveu sua pior fase no âmbito esportivo e financeiro.

Foram dois rebaixamentos (2002 e 2012), gastos altíssimos com contratações e inúmeras dívidas acumuladas a cada nova gestão. Relembrar essa fase não agrada nenhum pouco este escritor palmeirense que vos fala, porém, contextualizar aqueles anos dolorosos é, sem dúvida alguma, necessário.

Um exemplo curioso, e que resume bem o que foi aquele período, está na contratação do volante Wesley. Isso porque o Palmeiras não possuía verbas suficientes para tirá-lo do Werder Bremer e precisou abrir uma “vaquinha” entre os torcedores para arrecadar a quantia. Contudo, Wesley nunca desempenhou um bom futebol e saiu pelas portas dos fundos.

Essa era a fase em que o clube se encontrava e que só viria a mudar com a chegada de Paulo Nobre, em 2014. Na época o presidente adotou contratos de produtividade com atletas e teve que reduzir todos os gastos incluindo, infelizmente, o basquete.

O passado glorioso e a forte base palestrina

Fundado em 1923, o basquete do Palmeiras é extremamente tradicional. A equipe foi Campeã Nacional em 1977, venceu por 8 vezes o Campeonato Paulista, por 12 vezes o Campeonato Paulistano (entre os campeões da capital) e três vezes o Torneio Rio-São Paulo.

Além das conquistas, o Palmeiras revelou grandes atletas como Leandro Barbosa, – o único brasileiro com um prêmio individual na NBA, como Melhor Sexto Homem da Temporada 2006-07 – além de Yago, destaque do Flamengo e com excelente passagem pelo Paulistano, e um tal de Oscar Schmidt.

A base do Palmeiras segue sendo uma das mais fortes do Brasil. Só no ano de 2019, por exemplo, a base palestrinha conquistou 13 medalhas, sendo três de ouro, sete de prata e três de bronze. Entre os títulos, o Sub-16 foi bi-campeão brasileiro. Já a Copa Sul-Americana foi vencida pelo Sub-12 e Sub-15 do clube.

Prosperidade atual e projetos para o retorno

Foto: Divulgação/Basquete Palestrino

Voltando ao ano de 2015, o segundo semestre daquele ano marcou uma nova era vitoriosa para o futebol do Palmeiras. As conquistas da Copa do Brasil (2015) e o bi-campeonato do Brasileirão (2016 e 2018) deram vida nova ao clube.

Nesse meio tempo, sua receita teve aumento significativo, graças ao patrocínio Master (Crefisa), o plano de sócio-torcedor (Avanti) e as arrecadações da bilheteria – graças a sua nova arena multiuso – que fizeram do Palmeiras um dos times mais bem estruturados da América Latina.

Você deve estar se perguntando como o basquete profissional do clube ainda não retornou de forma efetiva. Naturalmente, houve uma série de rumores nos últimos anos, sobretudo entre os torcedores, mas a atual gestão não confirmou o retorno da equipe profissional.

A maior especulação até o momento vem do blog Basquete Palestrino que cogitava um possível retorno do basquete profissional para a temporada de 2021-22, com a eleição da Leila Pereira. No entanto, o projeto não avançou como era esperado.

O que fazer para o Palmeiras voltar?

Por fim, cabe a torcida cobrar o retorno do Palmeiras ao basquete profissional. Como palmeirense, vejo a maioria dos torcedores voltarem suas atenções apenas ao futebol masculino, o que não fortalece o projeto de retorno a maior liga nacional.

O torcedor deve, acima de tudo, exigir a volta de uma das modalidades mais tradicionais do clube, e que está enraizada em sua história. Afinal, o Palmeiras se chama Sociedade Esportiva Palmeiras, pois não se resume ao futebol.

Uma instituição esportiva precisa estar presente em todas as modalidades esportivas. Dessa forma, com o Palmeiras não pode e nem deve ser diferente, principalmente se tratando de um esporte com a popularidade do basquete. Espero ter conseguido reforçar a mensagem com esta singela matéria.

Finalizo pedindo para palmeirenses, e não palmeirenses, refletirem sobre o assunto. Até porque o NBB só tem a ganhar com a volta do clube alviverde, assim como a torcida, que terá mais um esporte para acompanhar e para se apaixonar – esporte este que não pode ser deixado de lado!


Curtiu o texto? Aproveite e também siga o Fora no TwitterFacebook e Instagram!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s